LUA NEGRA

LUA NEGRA – Princípios para interpretação e trânsito atual

Fabiana Pizetta e Vanessa Guazzelli Paim

Palestra proferida no I Encontro Nacional de Astrologia da CNA, Painel de Astrologia Contemporânea.

Livraria Cultura – São Paulo, 26 de março de 2011.

 

SINOPSE: Abordaremos os princípios que fundamentam nossa interpretação da Lua Negra em mapa natal e em trânsito, trazendo alguns exemplos e observando sua posição atual no céu, em consideração à entrada de Urano em Áries e de Netuno em Peixes.

 

Segunda Parte 

Por Vanessa Guazzelli Paim

 

Lua Negra é PULSÃO.

E a COMPULSÃO que insiste em nós.

E como então converter essa compulsão em pulsão criativa?

Freud vai falar de Pulsão de Morte, relativa à compulsão, e Pulsão de Vida, relativa à força vital e criativa.

Lacan vai falar em termos de presença-ausência, excesso e falta… O Real, como o registro do impossível… E como fazer furo nesse Real, nessa experiência brutal do pedaço de carne que é o corpo? Como furar esse impossível com imagens e palavras?

Como converter isso em nós que insiste em um automatismo reativo e visceral?

É no âmbito da Lua Negra que essa conversão se opera.

É no âmago da carne que a transformação mais profunda se efetiva, que se pode do terrível, realizar o sublime.

É aí que a compulsão pode ser sublimada em talento…

Por isto se diz que a Lua Negra é indicativo de grande dificuldade e de grande facilidade, de desafio e de talento.

Ela diz respeito, simbolicamente, à gravidade, ao puxa para baixo… À Terra…

É o instinto reptiliano… que rasteja, sente e reage cego, sem enxergar, movido apenas por sensações.

Isso da Terra, do Terrível, do Terror, do Aterrorizante…

Mas, também, da fertilidade da Terra, dessa Potência de vida que a Terra dá…
Lua Negra possibilita manifestação concreta, materializar – o terrível ou o sublime.

E para que a manifestação do sublime seja possível, é preciso não negá-la, não desconsiderá-la.

Para não ter de se haver com a fúria de Kali, mutação de Parvati, mulher de Shiva, quando este degola seu filho, que ela havia moldado do barro – sua expressão criativa, fértil. Ou como estamos vendo a Natureza no planeta reagir à desconsideração do corpo do globo e dos próprios corpos humanos.

É preciso escutá-la, perceber o corpo, trabalhar o corpo, para que não seja um mero pedaço de carne reativo, mas um corpo de desejo, um corpo de apropriação de um sujeito que se coloca neste corpo e então a partir dele desenvolve sua potência, se põe a realizar o potencial.

Um espelho, para refletir, carece de um aço… A Lua Branca é o espelho, A Lua Negra é o aço desse espelho – que dá a profundidade para as imagens que a Lua Branca reflete.
O olhar da mãe dá reconhecimento à imagem e à existência do filho quando vem inscrito de pulsão. Quando falha a pulsão, o desejo no olhar, algo da imagem pode falhar, algo do reconhecimento falha. Torna-se mais difícil furar o Real, dar nome ao Terror, dar canal ao impulso… Situar em si um eixo que possibilite dar curso às pulsões. Quando tal situação acontece, se está sujeito a que a pulsão volte contra si como compulsão.

 

Princípios para Interpretação

Lua Negra:

ž  NAS CASAS: uma experiência através da qual o corpo se constitui.

ž  NOS SIGNOS: uma tentativa de elaboração, de conversão dessa experiência, ou mera reação.

Lua Negra em Trânsito:

ž  Quando recebe aspectos: o planeta que se aplica convoca a lidar com a natureza da Lua Negra pessoal e oportuniza expressão e apropriação.

ž  Quando se aplica a pontos do mapa natal: traz à tona conteúdos não elaborados daquele ponto.

 

EXEMPLOS

Existem diversos exemplos interessantes de se examinar, como mapas de descobrimentos, de artistas como Frida Callo e Cazuza, da China Comunista (Lua Negra em Áries, vem ter retorno de Lua Negra este ano), Comando Vermelho… Dentre tantos, os três seguintes assuntos atuais nos servirão para vermos algo de posição natal, trânsito pessoal e trânsito coletivo:

– Terremoto do Japão (natural)

– Brasil e Dilma (político)

– Cisne Negro (artístico)

 

Terremoto do Japão

Um terremoto é algo extremo e exemplar de que dimensão se trata quando falamos em Lua Negra. Por mais que alguém possa relatar a experiência, por mais que possa relatá-la ao vivo, em rede internacional, com o auxílio de imagens, a vivência propriamente dita é para além do que se pode transmitir. Mesmo as imagens, que auxiliam a ‘furar’ esse Real e a transmitir algo do que possa ter sido, não se comparam a experiência vivenciada no corpo.

Lua Negra em quadratura exata, por grau e minuto, aos nodos. Pontos ‘inexistentes’, virtuais, se destacando em um aspecto exato em um momento tão terrivelmente concreto – algo pertinente à nossa consideração.

OBSERVAÇÃO: A Lua Negra, assim como os Nodos, é um ponto virtual, de maneira que odispositor se torna veículo essencial de sua manifestação. Aspectos de Lua Negra no céu ativam seu dispositor – como também acontece com os nodos.

Neste exemplo do terremoto com tsunami, detendo-nos aqui no nosso foco, a Lua Negra, observemos que ela, que quadra os nodos, tinha como dispositor naquele momento Netuno, o Deus dos Terremotos e dos Mares.

Brasil e Dilma

Consideramos aqui o mapa do Império e os seguintes:

  • Golpe de 1964: dentre alguns aspectos importantes da época, como a conjunção de Marte ao Plutão natal, no início de Áries, se estava em um retorno de Lua Negra do Brasil.

  • AI-5: a repressão marcada pela Lua Negra em Gêmeos, na IV do Brasil, na 1ª do radical do AI-I, em oposição ao Sol e Mercúrio do dia. Sol no 21º de Sagitário, tal como o Sol de Dilma, que, portanto, recebia na época a oposição da Lua Negra ao Sol natal.

  • Dilma: a primeira mulher presidenta do país tem o Sol em Sagitário, signo da Lua Negra do Brasil, mapa do Império. Não é uma conjunção propriamente com o Sol, mas é com seu Mercúrio, por 2 graus. E sua Lua Negra conjunta o Nodo Norte do Brasil, em Aquário.

Lua Negra em Aquário na IV casa

A Dilma foi presa em 16 de janeiro de 1970. Segundo relato dela mesma, passou 22 dias em processo de tortura. Dia 15 de janeiro, um dia antes da prisão, começou o aplicativo da oposição da Lua Negra por trânsito à Lua Negra natal. Por tanto, da 10ª casa, em Leão, pra 4ª casa, em Aquário. Um terror que se apresentou de fora, das autoridades, confrontando a Lua Negra dela em Aquário – e ela bancou. Com o talento visceral que só a Lua Negra proporciona, ela conseguiu bancar no próprio corpo, seus ideais aquarianos.  O aquário possibilita o distanciamento do corpo, a Lua Negra é capaz de um distanciamento ímpar, de uma frieza, de uma intransigência fixa aquariana, por uma quase que compulsão intelectual, desde o corpo.

Na época, Marte se aplicando em sextil e Urano em trígono marcaram possibilidade de conversão daquele horror em um movimento aquariano, de luta por ideais, o que acabou por torná-la a primeira presidenta do país. Talento de uma Lua Negra em aquário de suportar no corpo, movida pulsionalmente por ideais.

Cisne Negro                      

  • Darren Aronosfsky, diretor do filme:  Lua Negra oposta à Lua –  filmes que lidam com o estranho e com os limites do corpo, a compulsão e a mutação.

  • The Wrestler – O Lutador: première acontece na conjunção do Sol com a Lua Negra no céu, em conjunção Com a Lua Branca do diretor, portanto em oposição a sua Lua negra natal.

  • The Black Swan – Cisne Negro: Lua Negra em Peixes oposta ao Sol em Virgem – o rigor da disciplina e a entrega da dança, da dança perfeita… E o perigo de se perder.

A bailarina Nina, um perfeito Cisne Branco, tem de se haver com o desafio de conhecer o Cisne Negro nela mesma, para poder bancar o papel principal em o Lago dos Cisnes.

A compulsão que fere o corpo… A mãe que invade, sendo obcecada pela própria imagem, compulsivamente pintando autoretratos, que não permite a filha apropriar-se de seu corpo… Já adulta, a mãe corta suas unhas, vigia seu sono e sua sexualidade.

E, para bancar refletir a imagens dos personagens a encenar, Nina não encontra o respaldo do aço do espelho… E começa então a se perder nas imagens refletidas… da bailarina a quem substitui, da colega Lily… e de sua própria imagem no espelho… que não reconhece como sua – devido ao distanciamento, à não-apropriação de si mesma e seu corpo, ao ponto de ferir a si própria – com um pedaço de espelho – enxergando nela sua colega Lily… Porém, é contra ela mesma, é com ela mesma, sua pulsão e compulsão que está seu desafio.

O filme é Lua Negra de cabo a rabo. Até pele de réptil ela apresenta. Coça-se compulsivamente até sangrar, tira espinhos do próprio corpo. Há estranhamento, sem apropriação.

Ao mesmo tempo, a potência do corpo expressa como talento… A Dança… Perfeita.

O filme trouxe à Natalie Portman seu primeiro Oscar.

  • Natalie Portman e Mila Kunis:

E onde está a Lua Negra de Natalie Portman? Cravada no grau do Ascendentente, grau 11 de Escorpião.

Intensidade vivida através do corpo que entrega a seus personagens, talento! Grande talento!

E Mila Kunis, sua amiga que pessoalmente indicou para o papel de Lily, tem a Lua Branca em conjunção à lua negra de Portman. Juntas formaram espelho e aço, refletiram a imagem, em uma bela obra de arte!

 

CÉU ATUAL (mar/2011)

Lua Negra em Áries

ž  Reação agressiva bruta, Violência ou  Apropriação de Si e Posicionamento, ž Criatividade, Força Propulsora de Novos Inícios, com Coragem e Vontade! Motivação desde as Entranhas.

Bem, essa Cardinalidade em destaque – que não é de agora, vem já desde o Plutão em Capricórnio, Saturno em Libra, Urano agora de vez em Áries… o início das quadraturas cardinais… que ano que vem a gente vem ter mais da de Urano-Plutão… – isso tudo vem chamando para uma equalização, entre fixidez (solar, masculino, yang) e cardinalidade (lunar, feminino, in), entre céu e terra,  entre abstração tecnológica e organicidade.

Esta equação é própria do campo mutável. E vem agora o Netuno em Peixes, em seu domicílio mutável…

E vem acompanhado de toda essa ênfase cardinal, ariana! Pra voltar a ter graça! Tá sujeito doer, mas agora vem tendo mais graça! Acabou o marasmo…

E a Lua Negra vem bem junto, marcando esse grau 1 do primeiro signo, Áries, junto com Urano e com o próprio dispositor, Marte! É tempo de ação! De autoria! A Lua Negra aponta para a importância dessa ‘agressividade’, que demanda muita atenção. Para que não seja uma manifestação de violência, essa agressividade precisa ser convertida em posicionamento e apropriação da vontade, do desejo, da iniciativa.

É fundamental estimular nas crianças, fundamentalmente nas crianças, a autoria nesse período (às nascidas com Lua negra em Áries então… deve-se dar muito espaço e estimulo à criatividade!).

A importância de se escutar o corpo.

Com a Lua Negra assim tão ‘junto’,  no miolo dessa concentração ariana na entrada de Netuno em Peixes, pode-se constatar que tempos memoráveis vivemos… As vivências deste período tendem a ser do tipo ‘só quem viveu sabe’ – de maneira marcante. Um antes e depois, no estilo da Lua Negra.  O que podemos vir a contar e elaborar tende a ser muito rico, mas jamais comparável à experiência em si… Sejam as vivências do terrível, ou do sublime.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s